Blog

Riscos da diabetes nos gatos

  1. 29 Set 2015
  2. 291
Riscos da diabetes nos gatos

Quem pensa que a alimentação é a maior responsável pela obesidade felina está muito enganado. A falta de atividade física e o consequente sedentarismos são apontados pelos veterinários como as principais causas deste mal que atinge muitos gatos causando uma série de doenças.

Além de uma alimentação balanceada com a orientação do veterinário, a prática de exercícios ajuda a evitar a obesidade, que tem como principal consequência para os gatos o desenvolvimento da diabetes. O excesso de gordura pode aumentar as chances de o animal contrair males como pancreatite crônica, doenças do trato urinário e doenças articulares.

Estima-se que mais de 35% dos cães e gatos sofrem com o excesso de peso, e este mal é quase sempre de responsabilidade dos tutores. Uma pesquisa elaborada pela ONG britânica The Blue Cross revelou que a maioria das pessoas que têm maus hábitos alimentares e que não se exercitam passam este hábito para seus animais domésticos.

Riscos da diabetes

Enfermidade provocada pela elevação da taxa de açúcar no sangue, a diabetes mais frequente em gatos é o tipo 2, estando diretamente relacionada ao aumento de peso que promove alterações no controle da glicose sanguínea e o aparecimento da doença. Vale ressaltar que em alguns casos os gatos não têm necessidade de insulina.

O tratamento do diabetes tanto em cães como em gatos necessita ser feito sob supervisão do médico veterinário e deve levar em conta o manejo nutricional do animal.

A melhor forma de prevenção tanto para o diabetes tipo 1 ou 2 é manter o animal com uma dieta equilibrada, já que muitos animais recebem alimentação de forma errada através de guloseimas, como biscoitos, petiscos, restos de comida, o que contribui para o aumento de peso e consequentemente o diabetes.

Sintomas

Os principais sintomas do diabetes são a polidipsia (aumento da quantidade de água ingerida); poliúria (o volume da urina se torna maior) e o emagrecimento (mesmo com o aumento do apetite e consequente aumento da ingestão alimentar).

Enquanto nos cães o diabetes em estado avançado tem como sinal o aparecimento da catarata, nos gatos a neuropatia diabética (lesão dos nervos em virtude da glicemia elevada) pode ocasionar dificuldade e dor no andar do animal. O tutor deve ficar sempre ligado nos sinais emitidos pelos animais. A busca da ajuda médica veterinária o quanto antes podem ajudar no tratamento.

Deixe um Comentário

Curta nossa página

Posts Recentes