Blog

Pets têm Outubro Rosa para combater câncer de mama

  1. 07 Out 2015
  2. 291
Pets têm Outubro Rosa para combater câncer de mama

A campanha Outubro Rosa, voltada ao combate do câncer de mama nos seres humanos, tornou-se um das ações mais representativas do país nos últimos anos, como provam as adesões de empresas, artistas, governos, associações etc. Agora, a iniciativa caminha na direção do bem-estar dos animais, uma vez que a doença tem uma alta incidência em cães e gatos, principalmente nas fêmeas.

Uma prova é a Campanha Nacional de Prevenção contra o Câncer de Mama em Animais que, pelo segundo ano consecutivo, a Associação Brasileira de Patologia Veterinária (ABPV) e a Associação Brasileira de Oncologia Veterinária irão promover em algumas cidades do país.

O câncer é uma doença que atinge, principalmente, animais de estimação e pode ser desenvolvida por alguns fatores, como a idade avançada, a exposição à poluição, entre outros. Normalmente, a doença afeta animais mais velhos e que não foram castrados ou que foram castrados após diversos cios. 

Prevenção precoce

Os veterinários e especialistas da área de Medicina Veterinária apontam a prevenção como a principal medida preventiva contra a doença. E o melhor caminho para esta prevenção é fazer a castração precoce, junto com a prática rotineira de observar o animal e fazer visitas frequentes ao médico veterinário.

Estudos internacionais indicam que se o procedimento em cadelas for feito antes do primeiro cio, a probabilidade de desenvolvimento de tumor de mama é 0,05%. O percentual sobe para 8% se for após o primeiro cio e para 26% antes do terceiro.

O dono dos animais devem ficar atentos a alguns sinais que podem indicar a existência do câncer. No caso de aumento do volume da glândula mamária, feridas que não cicatrizam ou nódulos na região das mamas, a recomendação é procurar logo um médico veterinário para fazer avaliação e os exames necessários.

Outras medidas preventivas

Além da castração, as medidas preventivas incluem a inspeção rotineira da glândula mamária do seu animal (Toque Amigo) independente se fêmea ou macho; a não utilização de anticoncepcionais (progestágenos), pois estas substâncias sabidamente podem induzir a formação de tumores mamários benignos em cadelas e gatas com posterior transformação maligna; e o fornecimento de uma dieta balanceada.

A Medicina Veterinária, hoje em dia, já oferece vários tipos de tratamento contra a doença. Caso  o animal seja identificado com o câncer, o  mais indicado é a cirurgia para extração dos tumores ou das mamas. Em casos mais extremos, além da cirurgia, pode ser feita a quimioterapia antineoplásica.

Deixe um Comentário