Blog

Os riscos das plantas para os nossos pets

  1. 31 Mar 2016
  2. 346
Os riscos das plantas para os nossos pets

Quem não gosta de um quintal bem cuidado, com plantas e flores para garantir o embelezamento do lugar, sem contar a sombra para refrescar o ambiente? Se você faz parte desta legião e vive na companhia de cães ou gatos, precisa, então, tomar muito cuidado. Existem espécies de vegetais que podem colocar a saúde do pet em risco.

Algumas plantas possuem substâncias tóxicas capazes de intoxicar os animais de estimação. Tudo bem que cães e gatos não sejam herbívoros, mas a curiosidade em determinada fase da vida deles, como o hábito de morder, faz a ocasião. E aí mora o perigo, pois plantas que causam intoxicação com maior frequência geram sintomas sintomas como vômito, febre e paralisia, podendo até mesmo provocar a morte do animal.

Isso foi o que identificou pesquisa feita pela Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da Universidade de São Paulo (USP). O estudo listou uma série de plantas que podem intoxicar os animais, como você pode conferir na relação abaixo.

Se o problema acontecer com o seu pet, a melhor solução é levá-lo logo para o médico-veterinário, uma vez que cada planta causa uma resposta diferente no organismo dos animais.

Antúrio

Todas as partes da planta possuem ocalato de cálcio, um princípio ativo que oferece riscos à saúde dos animais. Os principais sintomas são queimação de mucosas, inchaço da boca, lábios e garganta, edema de glote, asfixia, náuseas, salivação, vômitos e diarreia.

Azaleia

Considerada símbolo da cidade de São Paulo, seu princípio ativo é a andromedotixina, cuja ingestão pode causar distúrbios digestivos e alterações cardíacas no animal.

Bico-de-papagaio

Apenas o toque nessa flor pode causar lesões cutâneas e conjuntivite nos animais. Além disso, a ingestão causa náuseas, vômitos e gastroenterite. Isso tudo por possuir o princípio ativo ‘latex irritante’, que tem um aspecto leitoso e é composto por ésteres de diterpeno.

Copo-de-leite

Pode parecer inofensivo, mas o copo-de-leite causa irritação das mucosas, dor severa e até edema de glote nos animais domésticos. A planta tem em sua composição oxalato de cálcio e saponinas.

Espada-de-São-Jorge

A planta ornamental é muito usada em jardins, porém a espada-de-São-Jorge contém glocosídeos pregnâncios e saponinas esteroidais, substâncias que se ingeridas causam dificuldade de movimentação e respiração devido a irritação na mucosa e salivação intensa.

Espirradeira

Existem glicosídeos cardioativos em todas as partes da planta e eles são responsáveis por causar arritmias, vômito, diarreia, perda da coordenação muscular, dificuldades respiratórias, paralisia. O animal pode até morrer. Os sintomas aparecem de 1 a 24 horas após a ingestão.

Lírio

Todas as partes do lírio são tóxicas. Os sinais de intoxicação nos animais são irritação oral, sensação incômoda e coceira na pele ou mucosas, irritação ocular, dificuldade para engolir e, em casos mais graves, dificuldade de respirar. A flor pode chegar a causar alterações das funções renais e neurológicas.

Maconha

É proibido cultivar a Cannabis sativa no Brasil, no entanto a planta aparece entre as que mais intoxicam animais. O que acontece é que muitas vezes o animal, perto de usuários, acaba inalando a fumaça da maconha ou então ingere pedaços da planta. O princípio ativo tóxico na droga é o THC (Tetraidrocanabinol), que age no sistema nervoso central. Os sintomas nos animais são depressão, desorientação, transtorno neurológico com falta de coordenação de movimentos e equilíbrio, e pode levar ao coma. A pupila do animal fica dilatada e ele pode ter fotofobia (sensibilidade a luz).

Mamona

A mamona tem em suas sementes e suas folhas perigosos princípios ativos que, se ingeridos, atacam o sistema nervoso. O pet pode vomitar, salivar em excesso, ter diarreia, sensibilidade abdominal, cólicas, desidratação, sangramento nas fezes e elevação da temperatura corporal.

Tomate verde

As folhas e os frutos verdes possuem alcaloide tomatina, uma toxina que pode causar arritmias cardíacas, dificuldade de respirar, salivação abundante, diarreia e vômito. Porém, quando os tomates verdes ficam maduros, a tomatina se transforma em um composto inerte.

Violeta

Os sintomas que aparecem no animal em caso de ingestão da violeta em grandes quantidades são severas gastrites, depressão circulatória e respiratória, além de diarreia e vômito. O problema está nos princípios ativos violinha, ácido tânico e salicílico.

Deixe um Comentário