Blog

De olho no coração dos pets

  1. 27 Mai 2015
  2. 1153
De olho no coração dos pets

Os dados estatísticos servem como um alerta para os donos de cães e gatos: um em cada 10 animais tem ou irá desenvolver alguma doença cardíaca. No caso dos cachorros, existe uma prevalência alta dessas doenças em função da raça e da idade, com os cães de pequeno porte - Poodles, Pinschers, Yorkshires e Cavaliers, por exemplo - que têm grande tendência a contraírem doenças valvulares.

Uma série de fatores podem causar as doenças cardíacas ou contribuir para aumentar seu risco. Entre eles estão fatores genéticos, ambientais, parasitas, alimentação, quimioterapia e neoplasia. Sintomas como a intolerância a exercícios, o cansaço, a tosse e os desmaios podem indicar que alguma coisa não vai bem com o coração do pet.

"O diagnóstico precoce é muito importante, principalmente nas doenças congênitas, em que um procedimento cirúrgico pode curar em definitivo o animal", explica Eloi Moreira, médico veterinário do CISA (Centro Integrado de Saúde Animal), em Campo Grande.

Como as doenças de origem cardíacas atingem os animais de estimação, sobretudo, cães e gatos?

As doenças cardíacas podem ser adquiridas, aparecendo com o envelhecimento dos animais. Destacam-se as doenças valvulares crônicas que acometem cães de pequeno porte; a cardiomiopatia dilatada, que é mais comum em cães de grande porte; e a cardiomiopatia hipertrófica, que acomete os gatos. Os animais
jovens também podem ter doenças cardíacas, especialmente as causadas por alterações congênitas, como a persistência do ducto arterioso, as comunicações interatriais, interventriculares e as estenoses.

Quais são os principais sintomas verificados no dia a dia?

Os principais sintomas encontrados nos animais cardiopatas são a intolerância a exercícios, o cansaço, a tosse e os desmaios.

Por que as doenças cardíacas são mais comuns em cães?

Os cães apresentam uma prevalência alta de determinadas doenças em função da raça e da idade. Existe algum tipo de predisposição genética que faz com que algumas raças tenham uma incidência maior. Os cães de pequeno porte, como os Poodles, Pinschers, Yorkshires e Cavaliers, têm maior tendência às
doenças valvulares. Como o número de cães pequenos é muito grande em relação aos cães de grande porte e aos gatos, é natural que a doença valvular crônica seja a doença que mais acometa os pets.

Os cães mais idosos sofrem mais com estes problemas? Por quê?

Sim, as doenças cardíacas adquiridas vão manifestar sintomas em animais mais idosos porque o desgaste do músculo cardíaco e das valvas aumenta com a idade.

Como as doenças cardíacas se manifestam em animais mais jovens?

As doenças cardíacas em animais jovens se manifestam da mesma forma que nos animais mais velhos, com intolerância a exercícios, tosse, hipóxia, desmaios, cardiomegalia, sopro cardíaco etc. Contudo, em animais jovens, as doenças cardíacas encontradas costumam ser congênitas.

Quais são os principais fatores causadores desses males?

Podemos destacar os fatores genéticos, ambientais, parasitas, alimentação, quimioterapia e neoplasia como causadores dos males cardíacos.

Que tipo de exame é feito para diagnosticar as doenças do coração?

Um bom exame clínico é muito importante no diagnóstico das doenças cardíacas, incluindo a ausculta do coração, a análise das mucosas, do tônus venoso e da pressão arterial. O ritmo cardíaco é avaliado pelo eletrocardiograma e pelo Holter, enquanto a anatomia cardíaca e o fluxo, pelo ecocardiograma. Também são muito úteis a radiografia e a tomografia computadorizada no diagnostico diferencial. Exames de sangue e testes sorológicos podem quantificar o grau de lesão miocárdica e a presença de dirofilárias no coração.

Como a alimentação e o tipo de vida que o animal leva contribuem para o surgimento deste problema?

O estresse, fatores ambientais e o excesso de sal podem contribuir para a piora das doenças degenerativas.

O que se pode fazer para prevenir que cães e gatos tenham doenças do coração?

Assim como a maioria das doenças degenerativas, as doenças cardíacas adquiridas podem ter componentes genéticos na sua origem. Por isso, a criação sem controle, com alta consanguinidade pode aumentar o número de animais predispostos. Outro fator a ser evitado é a obesidade, uma vez que pode acelerar o desenvolvimento de algumas doenças. Cães e gatos devem ser testados contra Dirofilariose todos os anos e a medicação preventiva deve ser feita mensalmente.

Qual é a importância do diagnóstico precoce para combater tais males?

O diagnóstico precoce é muito importante, principalmente nas doenças congênitas, em que um procedimento cirúrgico pode curar em definitivo o animal. Na Dirofilariose, o diagnóstico precoce é importantíssimo, pois o animal pode ser tratado antes de manifestar insuficiência cardíaca. Nas doenças degenerativas, o diagnóstico precoce pode dar maior sobrevida ao animal em função do estabelecimento de tratamento adequado.

Deixe um Comentário

Curta nossa página

Posts Recentes