Blog

Ameaças para a autonomia dos gatos

  1. 23 Set 2015
  2. 402
Ameaças para a autonomia dos gatos

Os gatos fazem parte da rotina de muitos brasileiros. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE), estes felinos somam uma população de quase 25 milhões de animais em todo o país. A marca principal deste bicho de estimação é a sua independência. E isso traz alguns riscos para a vida deles.

Esta autonomia que buscam ter em relação aos seus donos acaba expondo os gatos a situação em que são ameaçados por alguns parasitas, o que aumento o risco de transmissão de certas doenças. Entre os riscos está a verminose, uma patologia bem comum nos gatos.

Estes parasitas, normalmente, são classificados em dois tipos. Um deles são os vermes chamados de redondos, como a Ancylostoma SP e Toxacara cati considerados os de maior incidência, ocasionados quando o animal ingere larvas ou ovos presentes no ambiente.

Vermes intestinais

O outro tipo é chamado de vermes chatos, sendo o mais comum o Dipylidium caninum, que ocorre quando há a ingestão acidental das pulgas que são hospedeiros intermediários desse verme. Os vermes intestinais são parasitas que, quando adultos, instalam-se no aparelho digestivo e trazem riscos para a saúde do animal e de todos os que convivem com ele.

A Dipilidiose ocorre quando uma pulga contendo o verme Dipylidium Caninum é ingerida acidentalmente. Os animais podem apresentar sintomas como pelo seco e sem brilho, com queda excessiva, diarreia, fezes com sangue, apatia, perda de peso e apetite, anemia e vômitos, sinais que podem evoluir e levar à morte.

O estado de saúde do gato será determinante para o grau de severidade da atuação das verminoses em seu organismo, sendo que alguns fatores como a idade – jovens e idosos são mais suscetíveis, alimentação adequada e outras doenças pré-existentes, podem agravar o quadro.

Faça a prevenção com vermífugo

A melhor solução é se prevenir contra a ação destes parasitas, fazendo frequentemente a vermifugação do animal. A vermifugação deve ser um ato incorporado à rotina de cuidados com o animal  e caso a doença seja confirmada, o tratamento precisa ser imediato, sendo o diagnóstico realizado por meio de exames parasitológicos nas fezes do gato.

É sempre bom lembra que, em um ambiente com a presença de mais de um felino, todos devem ser vermifugados ao mesmo tempo, não somente o animal doente, pois o local se torna contaminado e pode servir como fonte de infecção para o gato sadio.

Com alguns cuidados higiênicos é possível evitar as verminoses, apesar do controle efetivo se dar com a vermifugação preventiva, sempre orientada por um médico veterinário. Confira algumas dicas que podem auxiliar a manter os vermes longe de seu animal.

Dicas para afastar os riscos

# Gatos têm instinto caçador e podem adquirir alguns tipos de vermes. Por isso, mesmo gatos que vivem no interior de casas ou apartamentos precisam fazer, com regularidade, exames para detectar a presença de parasitas.

# Mantenha o animal sempre higienizado, escovando os pelos sempre que necessário.

# O ambiente em que o gato circula deve estar sempre higienizado, assim como a sua caixa de areia, que deve ser trocada diariamente, usando luvas, e periodicamente ser lavada com água e sabão.

# Previna o seu gato contra pulgas, pois elas também são transmissoras de vermes.

# Leve seu gato ao médico veterinário com regularidade, pois este profissional poderá orientar sobre os exames e tratamentos necessários para o animal.

Deixe um Comentário

Curta nossa página

Posts Recentes