Blog

Alimentação de pets exige cuidados dos tutores

  1. 28 Ago 2015
  2. 324
Alimentação de pets exige cuidados dos tutores

Por mais amor e carinho que você tenha por seu cão ou gato, nunca esqueça de um ponto crucial nesta relação que, normalmente, costuma ser longa, chegando em muitos casos a superar os 15 anos: animais de estimação não são seres humanos, claro, e por isso não devem ser tratados como tal, sobretudo, na hora da alimentação.

Então, resista à tentação de acostumar o seu pet a comer comida de gente. Esta prática, adotada por muitos tutores como forma de recompensa aos animais, no lugar de contribuir para o seu desenvolvimento pode acabar trazendo sérias consequências para a saúde de cães e gatos. 

A alimentação à base de ração é a principal recomendação dos especialistas. Este tipo de alimento já vem preparado com as substâncias e nutrientes necessários para cada fase da vida do animal - filho ou adulto. Ou seja, esta alimentação já vem balanceada para cada etapa da vida do pet. Na dúvida, consulte o veterinário sobre o tipo de ração mais recomendado para o seu animal.

Dicas para a alimentação dos cães

A alimentação do cachorro deve satisfazer não só as suas necessidades específicas como, também, assegurar a máxima qualidade e esperança de vida. Só um alimento completo e equilibrado consegue favorecer o correto desenvolvimento do esqueleto, músculos e órgãos e, simultaneamente, ajudar a manter o peso ideal, como apontam os veterinários.

Uma coisa você precisa ter em mente quando o assunto é alimentação dos cães, isso desde os seus primeiros dias de vida: excessos e carências nutricionais são nocivos para a saúde do seu cachorro. Por isso, é conveniente que você tenha um bom conhecimento qualitativo e quantitativo das necessidades nutricionais do seu pet, que são totalmente diferentes das de um ser humano. Veja algumas dicas:

# alimente o animal sempre no mesmo local e após as refeições familiares;

# até os cinco ou seis meses de idade, fracione a dose diária do alimento em três refeições;

# se for necessário alterar a alimentação, introduza o novo alimento de forma gradual ao longo de uma semana, de forma a facilitar a adaptação do sistema digestivo do cachorro;

# não ceda à tentação de administrar sobras das refeições familiares ou guloseimas, porque estas são prejudiciais para o equilíbrio nutricional do cachorro.

Riscos para os gatos

A receita dos cães também serve para os gatos. Então, nada de dar guloseimas ou sobras de comidas humanas para os gatos, pois alguns alimentos carregam um alto grau de risco para a saúde dos felinos. Itens como cebola, leite e ossos podem provocar neste tipo de pet anemia, lesões intestinais e doenças renais.

Além dos produtos citados acima, na lista de alimentos proibidos para os gatos estão o alho, o consumo de gordura animal em grande quantidade, a uva, a azeitona, o pão e o café. Então, se realmente você ama o seu pet, não descuide de sua alimentação.

Deixe um Comentário